Plural dos Nomes Compostos

16/10/2013

 

Plural dos nomes compostos

Anúncios

Plural dos Nomes Compostos

16/10/2013

Clica aqui para aprenderes as regras dos nomes compostos

 

Adivinha

17/09/2013

Poema de José Saramago, cantado por Luís Pastor

Quem se dá quem se recusa

Quem procura quem alcança

Quem defende quem acusa

Quem se gasta quem descansa

Quem faz nós quem os desata

Quem morre quem ressuscita

Quem dá a vida quem mata

Quem duvida e acredita

Quem afirma quem desdiz

Quem se arrepende quem não

Quem é feliz infeliz

Quem é quem é coração

 

O Lume

17/09/2013

O Lume

Mafalda Veiga

Vai caminhando desamarrado
Dos nós e laços que o mundo faz
Vai abraçando desenleado
De outros abraços que a vida dá

Vai-te encontrando na água e no lume
Na terra quente até perder
O medo, o medo levanta muros
E ergue bandeiras pra nos deter

Não percas tempo,
O tempo corre
Só quando dói é devagar
E dá-te ao vento
Como um veleiro
Solto no mais alto mar

Liberta o grito que trazes dentro
E a coragem e o amor
Mesmo que seja só um momento
Mesmo que traga alguma dor
Só isso faz brilhar o lume
Que hás-de levar até ao fim
E esse lume já ninguém pode
Nunca apagar dentro de ti

Não percas tempo
O tempo corre
Só quando dói é devagar
E dá-te ao vento
Como um veleiro
Solto no mais alto mar

Mia Couto e Mar me Quer

13/09/2013

 

Para saberes mais sobre Mia Couto e Mar me Quer, segue este endereço:

http://lusofonia.com.sapo.pt/mia.htm

mar me quer350px-Mia_Couto

Mar me Quer

13/09/2013

 

Para leres este conto de Mia Couto, segue este endereço:

 

O Homem do Leme

26/05/2013

 

O Homem Do Leme

Xutos & Pontapés

Sozinho na noite
um barco ruma para onde vai.
Uma luz no escuro brilha a direito
ofusca as demais.

E mais que uma onda, mais que uma maré…
Tentaram prendê-lo impor-lhe uma fé…
Mas, vogando à vontade, rompendo a saudade,
vai quem já nada teme, vai o homem do leme…

E uma vontade de rir, nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder…

No fundo do mar
jazem os outros, os que lá ficaram.
Em dias cinzentos
descanso eterno lá encontraram.

E mais que uma onda, mais que uma maré…
Tentaram prendê-lo, impor-lhe uma fé…
Mas, vogando à vontade, rompendo a saudade,
vai quem já nada teme, vai o homem do leme…

E uma vontade de rir, nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder…

No fundo horizonte
sopra o murmúrio para onde vai.
No fundo do tempo
foge o futuro, é tarde demais…

E uma vontade de rir nasce do fundo do ser.
E uma vontade de ir, correr o mundo e partir,
a vida é sempre a perder…

Conto A Ilha Desconhecida

07/03/2013

Evolução das Línguas na Península Ibérica

25/02/2013

 

O Mirandês

25/02/2013

 


%d bloggers like this: